11 de maio de 2017

Calendário de atividades da Rede Municipal

Exibindo CARTAZIMPRESSAO11.05.jpg

Relatoria da Assembleia dos Profissionais da Rede Municipal de Educação – 11/05/17


Aos onze dias do mês de maio de dois mil e dezessete, os profissionais da rede municipal de educação de Itaboraí realizaram a assembleia geral no Colégio Estadual Visconde de Itaboraí (Cevi), cuja pauta foi a campanha da Data-Base.

A assembleia teve início com a apresentação dos seguintes informes: audiência referente aos descontos realizados contra a categoria devido às paralisações do dia 15 e 28 de março; grupo de trabalho sobre eleição para diretores; grupo de trabalho do PCCR e sobre a ação jurídica do SEPE contra os descontos das paralisações referentes ao mês de março.

Após a apresentação dos informes, foram apresentadas as avaliações e propostas onde foi discutido o caos das escolas da rede municipal; o assédio moral contra os profissionais das escolas (diretores e funcionários); o modo como o SEPE vai reagir aos descontos promovidos pela prefeitura; os descontos referentes à não participação nos abusivos sábados letivos; sobre as ações no ministério público contra a prefeitura de Itaboraí; a importância da nossa categoria em dialogar com os responsáveis e educandos sobre as mobilizações dos profissionais da educação, e a importância da categoria em participar dos Conselhos Escolares.

Sobre o calendário de mobilização da categoria, foram discutidas duas propostas: uma apresentada pela direção do SEPE-ITA, de paralisação de 48h na semana da greve geral (entre 22 e 26 de maio), unificando assim a luta do município com as lutas nacionais e dando continuidade e intensificando a mobilização da data base; a segunda com duas meias paralisações, uma na próxima semana (terça-feira, 16) com ato no centro de Itaboraí e a outra com assembleia, no dia 25 de maio, a partir das 9h30.

Deliberações:

- Medida Cautelar para impedir possíveis descontos de sábado letivo;
- Produzir material informativo sobre como os profissionais da educação devem proceder caso ocorra descontos referentes aos sábados letivos;

- Calendário:
- 16/05 (terça-feira) – meia paralisação com ato no centro de Itaboraí (Concentração na sala do SEPE às 9h30);
- 22/05 (segunda-feira) – panfletagem durante o desfile cívico escolar (Concentração na sala do SEPE às 8h30);
- 25/05 (quinta-feira) – meia paralisação com assembleia na sala do SEPE-ITA, a partir das 9h30.

O SEPE SOMOS NÓS, NOSSA FORÇA, NOSSA VOZ!

8 de maio de 2017

Informes sobre a audiência com a Secretaria de Educação e sobre a assembleia do dia 03/05

Relatoria da audiência com a secretaria de educação para tratar dos descontos referentes às paralisações

                A audiência realizada no dia 04/05/2017 (quinta-feira) com o Secretário de Educação Marcos Dias, contou com, além de alguns membros da secretaria de educação, dois diretores do SEPE e três profissionais da base da categoria.
                O motivo da audiência foi o de buscar esclarecimentos referentes aos descontos salariais vinculados às paralisações realizadas nos dias 15 e 28 de março, as quais estavam de acordo com deliberações da categoria em assembleia, além de terem sido comunicadas à SEMEC.
                Nesta audiência, o Secretário Marcos Dias deixou claro que não respeita o direito à greve - direito de todo trabalhador e instrumento legítimo de luta por melhores condições de trabalho – já que, afirmou categoricamente que toda paralisação será descontada, chegando até a falar, de maneira autoritária, de um “novo paradigma”, onde quem paralisar será descontado e só depois de comprovada reposição terá o valor ressarcido; além de comparar o profissional que paralisa (exercendo puramente um direito), e não é descontado, com os políticos corruptos que desviam dinheiro da população; disse ainda, numa visão propositalmente reducionista, que as paralisações nacionais não têm ligação com a pauta municipal. Depois de toda essa fala, de claro exemplo de ataque aos direitos dos profissionais da educação, o SEPE argumentou que o mais coerente é a negociação da reposição, sem que haja descontos, e que a forma de desconto que o governo municipal quer impor à categoria é de extremo autoritarismo e, logo, antidemocrática, comprometendo até o cumprimento dos dias letivos; argumentos que não mudaram a postura do Secretário, o qual em vários momentos mostrou-se extremamente debochado e mal educado com a categoria presente na audiência, fato que agravou-se com alguns comentários de cunho machista por parte de outro membro da secretaria.
                Dessa forma, ficou ainda mais explícito que a política do Prefeito Sadinoel (PMB), junto a seu Secretário de Educação, Marcos Dias, é de ataque e retrocesso no que diz respeito aos direitos dos profissionais da educação, como, por exemplo, a retirada do 1/3 de atividade extraclasse do 1º segmento, assim como o fim da hora extra, paga ao 2º segmento. Vale lembrar que o partido do atual prefeito, PMB, é a favor das reformas que tramitam no Congresso, reformas que deformam de maneira contundente a situação do trabalhador brasileiro, principalmente a da mulher. Então, quando o governo municipal atira contra os profissionais da educação, ele atinge mais intensamente as educadoras, já que, a categoria é majoritariamente feminina, o que determina uma atroz incoerência para um partido que se chama Partido da Mulher Brasileira, ou seja, puro oportunismo e demagogia para esconder a berrante misoginia desse partido.
 Sendo assim, num momento em que o Brasil presencia o aumento da pressão popular junto às centrais sindicais e aos vários movimentos sociais devido a escalada da precarização do trabalho (Reforma da Previdência, Reforma Trabalhista, Projeto de Terceirizações etc.), os governos, incluindo o de Itaboraí, tentam desmobilizar a qualquer custo os movimentos de luta, para garantir que o processo de precarização possa avançar. Mas não vamos nos amedrontar e continuaremos lutando por nossos direitos, já que, cumprimos muito mais do que nossos deveres. Vamos à luta!!!

Aproveitamos o espaço para relatar que a assembleia realizada no dia 03/05/2017, contou com 57 profissionais e teve como destaque a seguinte deliberação:

Dia 11/05 – meia paralisação e assembleia às 9h30, local a confirmar.
Obs.: Essa data está sujeita a modificação, tendo um caráter flexível e de acordo com as mobilizações nacionais.


                O SEPE SOMOS NÓS, NOSSA FORÇA, NOSSA VOZ!

5 de maio de 2017

Pequena amostra das péssimas condições estruturais das unidades escolares no Governo Sadinoel/Marcos Dias


   E.M. Genesio da Costa Cotrim

 - Não há funcionários suficientes de limpeza, o que leva a escola a ficar muito suja (chão, carteiras, banheiros);

- Não há inspetores em número suficiente também e, com isso, a escola está depredada, tornando-se um ambiente de insalubridade e periculosidade, como mostram as fotos anexadas: ventiladores quebrados com hélice exposta, portas quebradas, com pregos expostos e falta de lâmpadas nas salas;

- Além da falta de manutenção da escola, onde há  presença de goteiras nas salas, falta de extintor de incêndio, etc. 

Obs.: as fotos são de salas diferentes, localizadas no 2º pavimento da escola, que é o mais depredado. 












O ano letivo começou mais tarde para isso?







AddThis Smart Layers